Santuário de Santa Quitéria de Frexeiras – uma história a se conhecer

O Blog Acerto de Contas há um tempo fez uma publicação a respeito do Santuário de Santa Quitéria de Frexeiras. Confira:

Casa em que está instalada a imagem de Santa Quitéria. Município de São João (Foto: André Raboni. Clique para ampliar)

Casa em que está instalada a imagem de Santa Quitéria. Município de São João
(Foto: André Raboni).

Em uma de minhas andanças pelo interior do estado de Pernambuco, no ano passado, descobri uma história inusitada e conhecida por poucos. É a história do Santuário de Santa Quitéria de Frexeiras.

O Santuário fica localizado no município de São João, vizinho de Garanhuns, no Agreste do Estado.

Quando ouvi falar do santuário, que milhares de fiéis peregrinavam todas as semanas para o local, resolvi conhecer melhor o lugar e fiz alguns contatos para conhecer o dono do santuário.

As terras pertencem à família Guilherme da Rocha, há pelo menos 300 anos. Tendo sido vendida em partes ao longo do tempo para outras famílias, atualmente está em propriedade dos Guilherme da Rocha apenas uma parte desse grande lote inicial.

Segundo um dos herdeiros, que tive a oportunidade de conhecer e entrevistar nesse dia, sua família, originariamente “Corrêa da Rocha” (que atualmente é a família “Guilherme da Rocha”, devido a uma promessa feita a São Guilherme), quando veio de Portugal para cá, por volta do ano de 1695, tendo recebido um grande lote de terras em sesmarias na região, trouxe consigo a imagem da santa, e construiu a casa na qual hoje está localizado o santuário.
“Tudo começou quando minha família veio de Portugal tomar posse de terras que foram concedidas pelo governo de Portugal em 1695, já trouxeram os escravos e quando chegaram aqui na região construíram a casa para morar e foram preparando a terra para a cultura de subsistência e quando eles vieram de Portugal trouxeram na bagagem a imagem de Santa Quitéria, essa imagem que está aqui de 44 cm e que era a imagem de devoção da família. Com as frequentes novenas realizadas aqui na casa (a família era muito católica), os escravos começaram essa devoção à Santa Quitéria, os índios também, e os escravos foram espalhando para os escravos de outras propriedades e os donos de outras fazendas, que existia uma santa milagrosa e aí começou a peregrinação; e no final do século XVII, a casa, que foi para abrigar uma família, foi transformada nesse espaço para receber as constantes visitas que vinham montadas em lombo de burro, em carro de boi até a modernidade de hoje em que elas vêm de ônibus, de caminhões pau de arara, vem muita gente a pé.”

Todas as semanas milhares de fies vão ao santuário prestar homenagens à Santa Quitéria. As homenagens são feitas com variedades incríveis de ex-votos (pedaços de corpos ou corpos inteiros esculpidos, geralmente, em madeira. As esculturas representam a parte do corpo afetada, pernas, cabeças, mãos, etc. e são entregues quando o fiel se cura – ver foto abaixo). É uma grande movimentação para o turismo do tipo religioso, um dos pontos fortes na região. Garanhuns com seu Mosteiro de São Bento, seu Seminário de São José, é com certeza uma cidade que atrai muitos turistas. São verdadeiras obras de arte, de um tipo que, em se não sendo genuína, é no mínimo fruto de muita dedicação do artista-fiel a essas esculturas de ex-voto.

Cabeça esculpida em madeira. Ex-voto. (Foto: André Raboni.

Cabeça esculpida em madeira. Ex-voto.
(Foto: André Raboni).

Um dos proprietários do Santuário de Santa Quitéria de Frexeiras (frexeira é o nome de uma planta da região), na ocasião da entrevista, me disse que não recebe nenhum incentivo para infraestrutura do local, por parte do poder público, e que isso estaria prejudicando seus negócios, reduzindo seus lucros e dificultando o acesso dos fiéis ao santuário, que estariam expostos à violência e à falta de serviços.

Outros tipos de esculturas são feitas, mais luxuosas, com placas. Abaixo, uma dessas mais bem elaboradas, provavelmente encomendada, e não esculpida, visto ser em bronze e muito bem acabada.

Escultura em bronze. No pé da escultura, lê-se: “Armando Sales Brasil - acidentado no dia 12- 01-70 / vem oferecer a Santa Quitéria das Frexeiras sua estátua em agradecimento por ter ficado completamente restabelecido / São Paulo X-01-71″ (Foto: André Raboni).

Escultura em bronze. No pé da escultura, lê-se: “Armando Sales Brasil –
acidentado no dia 12- 01-70 / vem oferecer a Santa Quitéria das Frexeiras
sua estátua em agradecimento por ter ficado completamente restabelecido
/ São Paulo X-01-71″
(Foto: André Raboni).


. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Ao mesmo passo, existe um problema político-religioso sério na região. A família proprietária do santuário não permite a entrada de representantes da Igreja Católica ao local. Então, sabendo disso, fui procurar o Bispo da diocese de Garanhuns Dom Irineu, que me recebeu muito bem nesse dia. Então, entrevistei também o Bispo para saber melhor que danado de história era essa.

O Bispo D. Irineu me explicou que por ser uma propriedade privada, a Igreja não tinha acesso ao santuário, não podendo realizar missas e nenhum tipo de comunhão ou ritual institucional. Apenas uma vez realizou-se uma missa ali no santuário, em 2001. Depois disso o Bispo e a Igreja foram definitivamente proibidos de entrar na propriedade.

“Santa Quitéria das Frexeiras… as informações primeiras que tive é que eram proibidos padres e bispos se apresentarem no santuário porque pertencia a uma família, era uma propriedade privada que trouxe a imagem de Santa Quitéria de Portugal“, disse o Bispo.

Falando sobre sua primeira ida ao santuário, disfarçado, Dom Irineu me falou a primeira impressão que teve:

“eu fui disfarçado, botei um boné na cabeça cheguei lá fiquei olhando pra conhecer. Poxa, tem tanto Peregrino que vai orar, aí eu fui entrando na sala olhando as coisas, uma senhora vendendo imagem de santos, aí a Senhora disse: que alegria! chegou Dom Irineu! aí foi quando me abraçou, abriu a porta, acendeu as luzes, trouxe a santa, todas as fotografias para a gente conhecer (…). O santuário é horrível; a imagem, coitadinha, está cheia de correntinhas de ouro pendurada, é uma imagem maltratada.” Mas, pela foto, vemos que a imagem não parece tão maltratada, mas sim encoberta por correntes de ouro; se isso for “maltratada”, na semântica do Bispo, ela está realmente bastante maltratada.

Imagem de Santa Quitéria de Frexeiras. (Foto: André Raboni).

Imagem de Santa Quitéria de Frexeiras.
(Foto: André Raboni).


A pendenga entre a Igreja e a família foi parar na justiça. Mas, a Igreja resolveu por bem não interditar o santuário, mesmo alegando que tem esse poder. O Bispo critica a forma como são realizadas as festividades no dia da Santa (sete de Setembro, apesar de o dia oficial da Igreja Católica ser 22 de maio). Segundo o Bispo,

“O dia da padroeira é um dia de bebedeira, briga, confusão, prostituição, peixeira e depois a família briga para dividir o dinheiro que foi arrecadado, e o povo é que foi enganada por um culto particular de uma santa da igreja católica, a igreja tinha durante todo esse tempo o direito de ter interditado esse templo, como teria o bispo de interditar, mas eu nunca vou fazer isso, a gente continua, enfim, tolerando.“

O herdeiro da propriedade, da família Guilherme da Rocha me disse que, por falta de investimentos do poder público, é obrigado a contratar segurança particular para os dias de festa. Os investimentos solicitados pelos proprietários do santuário, nas palavras do herdeiro:

“Eu acredito que, primeiramente a estrada, os 4 km de acesso que faltam serem complementadas [asfaltadas], as praças, poços artesianos para que os romeiros pudessem pegar água, banheiros seriam de fundamental importância, um trabalho de conscientização com os moradores daqui para que eles pudessem tirar mais proveito do turismo religioso, presença da vigilância sanitária, presença da PM já que eles não vêm aqui, e tem pessoas que se aproveitam dessa peregrinação para vir roubar os romeiros, já que em sua maioria são pessoas idosas que viram alvos fáceis dos ladrões.”

O processo na justiça é bastante complexo. Segundo o Bispo, as outras famílias proprietárias de terras vizinhas ao santuário (três famílias) são a favor de uma intervenção da Igreja, para reorganização do santuário, mas a família Guilherme da Rocha é contra, por serem os donos da localidade do santuário e da imagem. As palavras do Bispo podem explicar melhor que eu este imbróglio.

“Aí vieram três jovens herdeiros da família, são quatro famílias herdeiras, falar comigo para explicar porque não saiu à missa [a segunda missa, um ano depois] então o problema é: essas são três famílias unidas e uma delas não concorda… todos são jovens e eles dizem ‘nós não temos vocação para isso, nossos pais, nossos avós, bisavós, já morreram, eles é que tinham vocação para isso’. E, um deles até me disse: ‘vou confessar um pecado grave da nossa família: nós exploramos a igreja todos esses anos’. Então, eu disse, ‘a posição da Diocese é unicamente negociar, nós não negociamos com vocês famílias se não estiverem todos unidos, eu quero que vocês cheguem a um acordo, não quero ter problemas com vocês, nem com a diocese.’ Aí, diante disso, eles acharam por bem convocar as quatro famílias e os prefeitos de Garanhuns e São João, já que Santa Quitéria pertence a São João, chamei também uma comissão que eu tinha convocado pela diocese para negociar com as famílias, as pessoas do conselho econômico da diocese, e por tanto uma sala cheia de gente, comecei a reunião e passei a palavra para comissão que me representava para negociar com eles, cada um mostrou o seu ponto de vista, um mostrou o seu ponto de vista jurídico, já que era advogado, praticamente quem falava era o advogado, então depois disso eu fiz minha proposta pessoal, como pessoa física, Irineu: enquanto eu tiver pela Diocese, a minha proposta é: se de fato as famílias resolverem passar para nós, sem indenização ou com indenização, eu prometo a construção de um santuário digno de Santa Quitéria das Frexeiras e além disso prometo colocar um padre vinte e quatro horas por dia e uma congregação religiosa onde jovens e irmãs para atender bem os peregrinos e para fazer uma bela estrutura, (…)”

Prosseguindo, o Bispo disse que “não como está sendo feita até agora; agora eu queria que vocês falassem as suas propostas. O prefeito daqui [Garanhuns], Luiz Carlos, disse que falou com o prefeito de São João sobre santa Quitéria e que já estava asfaltada [a estrada entre um e outro município] até a divisa de Garanhuns, e que Garanhuns não tinha compromisso. Porém, Luiz Carlos disse: você faz a metade e a gente faz a outra metade e isso está de pé, eu aceito também as condições que Dom Irineu colocou, não tem sentido o poder público investir em uma propriedade privada… Aí o prefeito de São João disse também a mesma coisa sobre o asfalto e disse também que tinha feito promessa para uma estrutura urbanística de grande porte para transformar Santa Quitéria no centro de peregrinação e turismo religioso. ‘Agora eu fico assim também igual ao bispo, enquanto a família não sair o poder público não pode investir em propriedade privada’… Aí chegou a vez de a família falar, então saiu à quarta família.“

Outra coisa curiosa é que na mesma propriedade, em uma casa em frente à do santuário, existe uma casa-museu com dezenas de esculturas sacras, doadas por fies de todo canto do nordeste e do país. Houve um tempo em que se cobrava ingresso para entrada. No local, existem algumas catracas velhas, já quebradas, semelhantes às catracas de circo. Abaixo, publico com exclusividade para o leitor do Acerto de Contas, fotos dessas esculturas, tiradas quando estive lá.

Redação Blog Interior Informa

*(Informações e Fotos do Blog Acerto de Contas – link da matéria original – Igreja Católica e família brigam por santuário no interior de Pernambuco – http://acertodecontas.blog.br/atualidades/santuario-no-interior-e-causa-de-briga-juridica-entre-a-igreja-catolica-e-familia-proprietaria-de-imagem/ – atualizada em 19 de maio de 2008.)

Esculturas em madeira. Crucifixos. Medem cerca de 2 metros de altura. (Foto: André Raboni.

Esculturas em madeira. Crucifixos. Medem cerca de 2 metros de altura.
(Foto: André Raboni.

Escultura em madeira, mede cerca de 1,80 cm. (Foto: André Raboni.

Escultura em madeira, mede cerca de 1,80 cm.
(Foto: André Raboni.)

Escultura em madeira. Mede cerca de 1,60 cm. (Foto: André Raboni).

Escultura em madeira. Mede cerca de 1,60 cm.
(Foto: André Raboni).

Anúncios

Sobre Interior Informa

UM NOVO MUNDO REQUER NOVOS MEIOS

Publicado em janeiro 12, 2014, em Uncategorized e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Viagem: Na Ponta do Lápis

Blog de viagens com dicas de alimentação, hospedagem e roteiro

Interferência Urbana

O cinza e a cor

Criaturas de Ñanderu: Releituras

Espaço para partilha de resultados do trabalho em torno do livro Criaturas de Ñanderu, escrito pela autora indígena Graça Graúna e ilustrado por José Carlos Lollo

Falando em Literatura...

só boa literatura desde 2008

Brasil de Todo Mundo

Apresentando o Brasil para gente de todo o mundo

paisagem de interior

Um Novo Mundo Requer Novos Meios - Blog Interior Informa

Mundo da Robótica

Fazendo a ponte entre a teoria e a prática.

Educação Política

mídia, economia e cultura - por Glauco Cortez

Blog do EVALDO TEIXEIRA

Opinião, Política, Variedades, Religião...

INTERIOR INFORMA

Um novo mundo requer novos meios.

RUBEM

Revista da Crônica - Notícias, entrevistas, resenhas e textos feitos ao rés-do-chão.

%d blogueiros gostam disto: